História do Instituto Carlos Chagas

57 anos de tradição na formação de profissionais da saúde

Inicialmente faremos um retrospecto da nossa Instituição que teve sua origem ligada a Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, fundada em 12 de agosto de 1959. Nasceu do idealismo de um grupo de médicos livres docentes da tradicional Faculdade de medicina da Universidade do Brasil.

Este grupo era composto por:

  • Armindo de Oliveira Sarmento
  • Nelson Passarelli
  • Gastão Dias Veloso
  • Pedro Alves da Costa Couto
  • Mário Pinto de Miranda
  • Pedro Ribeiro de Carvalho

O Objetivo pioneiro, na época no Brasil era criar Ensino Pós-Graduado, ainda não regulamentado pelo Ministério de Educação e Cultura.

A sede provisória para a parte administrativa, ficou funcionando na 18º Enfermaria do Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, Serviço do Prof. Pedro Alves da Costa Couto.

A Comissão que elaborou o Estatuto era constituída dos Professores Mário Pinto de Miranda, Nelson Passarelli e Pedro Ribeiro de Carvalho.

Ficando assim a Primeira Diretoria:

  • Diretor Geral: Prof. Pedro Alves da Costa Couto;
  • Vice-Diretor: Prof. João de Albuquerque;
  • Diretor de Cursos: Prof. Nelson Passarelli;
  • Diretor Secretário: Prof. Pedro Ribeiro de Carvalho;
  • Diretor Tesoureiro: Prof. Newton Bethlen.

Providencias foram tomadas para registrar os Estatutos da Escola em 1961.

A 28 de março de 1962, foi realizada a Sessão Solene de Instalação da Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas no Colégio Brasileiro de Cirurgiões. O Corpo Docente passou a ser constituído de: Membros Fundadores, Professores Efetivos e Professores contratados.

Relação dos Primeiros Professores da Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas:

  • Antonio Luiz Boavista Néri
  • Armindo de Oliveira Sarmento
  • Assad Mameri Abdenur
  • Benjamin Albagli
  • Bernardo Couto
  • Carlos Paiva Gonçalves
  • Deolindo de Souza Gomes Couto
  • Edgard Magalhães Gomes
  • Isaac Vaissman
  • Carlos Vinhaes
  • Rubem Azulay
  • Savino Gaspariano Filho
  • Figueredo Mendes
  • Wigam Joppert Filho

Os Cursos foram organizados a partir de 1960.

No primeiro folheto, de 1962, o Diretor dos Cursos, Prof. Nelson Passarelli, fez a primeira apresentação da Escola propagando suas finalidades e divulgando o primeiro Conselho Diretor assim como as exigências para a matricula; enumerando em seguida os cursos, seus organizadores e o período de realização, num total de 29 cursos programados, sendo somente um de especialização e os demais de Atualização.

Em 1963, já com divulgação no território brasileiro, tiveram 230 matrículas para 18 Cursos, do quais três eram de Especialização com duração de um ano: Anatomia Patológica, do Prof. Manoel Barreto Neto; Ortopedia do Prof. Gastão Dias Velloso e Puericultura e Clínica Pediátrica o Prof. Luiz Torres Barbosa.

Em 1964 foram realizados 14 Cursos, com 108 alunos com destaque para Especialização em Gastroenterologia abrangendo vários setores.

  • Esôfago: José Carlos Vinhaes;
  • Estômago e Duodeno: Pedro Ribeiro de Carvalho;
  • Intestino Delgado: Nelson Passarelli;
  • Colon:  Pedro Costa Couto;
  • Hepatologia: Tómas Figueiredo Mendes;
  • Vias Biliares / Pâncreas: Mario Pinto de Miranda.

Para integração desses Cursos foi indicado pela Comissão Diretora, o Prof. Nelson Passarelli.

Em 1965, com 14 Cursos e 205 inscrições o número de cursos de Especialização aumentou para 8.

Em 1966, foram programados 22 cursos, dos quais foram realizados 15. Neste ano o Curso de Gastroenterologia foi reconhecido como Curso de Extensão Universitária pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, tendo como Coordenador Geral o Prof. Nelson Passarelli e sendo patrocinado pela 5ª Cadeira de Clínica Médica cujo Catedrático era o Prof. Edgard Magalhães Gomes.

Em abril de 1967 nasceu a idéia de criação de uma Escola de Formação de Médicos.

O Prof. Carlos Paiva Gonçalves exaltou esta proposta dizendo inclusive que iria ao encontro da política educacional do Governo do Presidente da República, Costa e Silva. A proposta teve o consenso geral, entre eles os Profs. Mario Pinto de Miranda, Jarbas Porto, Nelson Passarelli, Gastão Velloso e Pedro Ribeiro de Carvalho. O Prof. Gastão Velloso propôs uma entrevista com o então Presidente do Conselho Federal de Educação, Prof. Deolindo Couto, a qual se realizou e teve o apoio do grande Mestre.

Os detalhes dos trabalhos da Comissão Organizadora  para Implantação da Escola Médica, resultou na criação da Escola de Medicina Souza Marques.

Já em 1970 a escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas apresentava 96 professores. Entre os novos livres docentes que pediram adesão à Escola, estavam os colegas: Ernani Aboim, Leo Pinto Carvalhaes, José Figueredo Penteado, Orlando Marques Vieira, Murillo Cortes Drummond, que passaram a colaborar da direção da Escola.

Em 1970 é eleito o novo Conselho Diretor da Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, para o Biênio 1971/1972 que ficou assim constituído:

  • Diretor Geral: Prof. Nelson Passarelli;
  • Vice-Diretor: Prof. Alves da Costa Couto;
  • Diretor Secretário: Prof. Orlando Marques Vieira;
  • Diretor dos Cursos: Prof. Murillo Cortes Drummond.

A Escola de Medicina da Fundação Técnica Educacional Souza Marques foi autorizada a funcionar pelo Decreto do Governo federal nº 66141, de 29 de janeiro de 1970. O ensino médico iniciou-se em 1971 e a primeira turma de médicos se formou em 1976. Foi reconhecida pelo Decreto nº 78665, de 4 de novembro de 76.

Em 1972 é eleito o novo Conselho Diretor da Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas ficou constituído dos Professores Nelson Passarelli (Diretor Geral), Pedro Alves da Costa Couto, Caio Villela Nunes, José Figueredo Penteado, Orlando Marques Vieira, José Carlos Vinhaes, Jarbas Porto e Mario Pinto de Miranda.

A Escola de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas apresentava nesta época 133 Professores, sendo 69 professores efetivos (fundadores) e 63 outros professores que aderiram à Escola, após sua fundação.

Em 1975, o Senhor Diretor Prof. Mario Pinto de Miranda, procurou regularizar a situação da Escola, implantando nela um sistema mais real com a época, em relação a parte jurídica e administrativa. Lamentavelmente não atingiu este objetivo, e assim, a Escola foi extinta. Todos os professores concordaram que nesta circunstância a saída era criar, o que ocorreu, em 6 de agosto de 1975 o INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO MÉDICA CARLOS CHAGAS, com Estatuto elaborado pelos Professores Mario Pinto de Miranda e Benjamin Albagli, aprovado em Reunião e realizado no dia 9 de setembro de 1975, na Escola de Medicina da Fundação Técnico Educacional Souza Marques, a rua do Catete, nº 5.

A Primeira Jornada Médica realizada pelo IPGMCC ocorreu em 1976 no Campus da Escola de Medicina Souza Marques.

A 1ª Diretoria do IPGMCC com mandato de quatro anos, de 31 de dezembro de 1971 à 1975 foi constituída de:

  • Diretor: Prof. Mario Pinto de Miranda;
  • Vice-Diretor: Prof. Benjamin Albagli;
  • Diretores de Curso: Professores Leo Pinto Carvalhaes e Orlando Marques Vieira;
  • Diretor de Pesquisa: prof. Ernani Vitorino Aboim;
  • Suplentes: Professores Eimar Delly de Araújo, Flávio Aprigliano, Alkindar Soares Filho, Assad Mamed Abdenur.