whatsapp-image-2017-01-05-at-1-41-29-pm

Lançamento Livro do Senador Cristovam Buarque

Os muros que apartam ricos e pobres

Em seu novo livro, Cristovam Buarque, depois de percorrer a fronteira da Turquia com a Síria, faz um relato das barreiras que separam a humanidade e propõe ações a serem tomadas em conjunto pelos líderes mundiais

Um convite para lançar um de seus livros na Turquia levou Cristovam Buarque a conhecer de perto a realidade dos campos de refugiados entre Istambul e Kilis, na fronteira com a Síria, próximo a Alepo. O que viu e vivenciou nos quase 1.000Km percorridos na viagem foi o estopim para que o educador trouxesse à tona o seu novo livro: “Mediterrâneos invisíveis” (Editora Paz &Terra), que será lançado no dia 10 de janeiro (terça-feira), na Livraria da Travessa (Leblon), no Rio de Janeiro, às 19h.

No livro, Buarque, que está em seu segundo mandato de Senador, faz um relato do que viu e ouviu ao reconstruir parte do caminho trilhado pelo pequeno Aylan Kurdi, o menino que sensibilizou o mundo ao ser encontrado sem vida em uma praia na Turquia, após tentar a travessia do Mediterrâneo. O autor entrelaça a tragédia do mar Mediterrâneo a partir da desestabilização política na Síria, no Iraque, no Afeganistão e em alguns países da África, com os outros muros invisíveis que separam os cidadãos ao redor do mundo. O objetivo: refletir sobre possíveis saídas para diminuir as diferenças sociais. Ele põe em pauta desastres ambientais, como o de Mariana (MG), a fome e a pobreza que aumentam a desigualdade social no Brasil e no mundo.

Para o autor, as soluções para os problemas da Humanidade não podem ser individuais, mas sim articuladas entre os países. Em Mediterrâneos invisíveis”, Cristovam propõe um conceito de “Planetania”, em que os políticos devem não apenas se preocupar com o interesse individual de suas nações, mas sim com as questões planetárias, nesta era que já conhecemos como Antropocena, em que o homem é capaz de mudar a geologia da Terra. Diz, assim, que deve haver a atuação de “parlamentares sem fronteiras” atuando para minimizar o impacto do capitalismo e da globalização sobre as populações menos favorecidas.

Com uma visão humanista e permanente foco na Educação, Cristovam constrói um relato sensível, expõe dados e informações e recorre à História e à literatura para refletir sobre o futuro, num mundo em que o nacionalismo conservador e o medo têm pautado as principais decisões de líderes mundiais.

Cristovam é autor de livros que fogem da temática de seus textos, discursos e área de atuação na política. Dentre suas obras, “Astrícia” e “Os Deuses Subterrâneos” são as que tiveram melhor receptividade por parte dos leitores, acredita o autor. Coincidentemente, são também os que mais lhe deram satisfação em escrever. “A Desordem do Progresso – O fim da era dos economistas”, por sua vez, é um livro pelo qual Cristovam tem bastante apreço porque foi um texto pioneiro, escrito há aproximadamente 30 anos, quando não se falava em crise ecológica, nem no desnorteamento do pensamento econômico. “A Cortina de Ouro” é outra obra com ideias antecipatórias e bastante citado em “Mediterrâneos Invisíveis”. O penúltimo livro, “O Erro do Sucesso”, teve prefácio assinado pelo italiano Domenico de Masi.

Sobre o autor

Engenheiro mecânico formado pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1966, e Doutor em Economia, pela Sorbonne, Paris, em 1973. Foi funcionário do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no período de 1973 a 1979, em Washington; Reitor da UnB (1985-1989), onde ainda leciona e foi agraciado com o título de professor Emérito; Governador do Distrito Federal entre 1995 e 1998; e Ministro da Educação em 2003. Foi candidato a Presidência da República nas eleições de 2006. É Senador da República pelo Distrito Federal desde 2003, mandato para o qual foi reeleito em 2010. No Senado presidiu as Comissões de Direitos Humanos, a Comissão de Relações Exteriores e a Comissão de Educação. Atualmente é membro do Conselho Consultivo do Relatório de Desenvolvimento Humano (PNUD), Vice-Presidente do Conselho da Universidade das Nações Unidas (UNU), membro da Academia Real de Ciências, Letras e Belas Artes da Bélgica e membro conselheiro do Clube de Roma.

Em 1999, dividiu seu tempo entre os cursos da UnB, seus escritos e a Organização Não Governamental Missão Criança, fundada por ele, para promover a ideia da Bolsa Escola no Brasil e no exterior, que manteve famílias com Bolsa Escola financiada com recursos privados, no Brasil, países da América Latina e África. Foi Consultor de diversos organismos nacionais e internacionais dentro da família das Nações Unidas. Foi Presidente do Conselho da Universidade para a Paz das Nações Unidas, em San Jose, membro do Conselho Presidencial para a Elaboração de uma proposta de Constituição, e da Comissão Presidencial para a Alimentação.

Entre as diversas soluções criadas pelo professor Cristovam e implantada pelo governador Cristovam, a mais conhecida no Brasil e no Exterior é a Bolsa Escola. No Senado, é autor de mais de cem projetos de lei, dentre os quais 16 já se transformaram em leis, tais como a instituição de um piso salarial nacional para os professores, a redução de pena para presos que utilizarem o tempo estudando, disponibilidade de vagas nas escolas para crianças a partir dos 4 anos, a nacionalização do ensino médio e o envio de informações escolares aos pais e/ou responsáveis.

Enquanto Ministro da Educação, o MEC implantou o Programa do Livro Didático para o Ensino Médio. Distribuiu acervo de livros para 20 mil escolas e iniciou o Programa Biblioteca do Professor, atendendo a escolha de mais de 724 mil professores de todo o Brasil.

 

Serviço: Lançamento Livro
Título: Mediterrâneos Invisíveis

Autor: Cristovam Buarque

Local: Livraria da Travessa – Shopping Leblon – Av. Afrânio de Melo Franco, 290.

Editora: Editora: Paz & Terra / Grupo Editorial Record

Número de páginas: 173

Preço sugerido: R$ 32,90

Calendário Lançamento:

  • 13/01/2017 – Lançamento em Belém (PA)